11 técnicas de copywriting que irão melhorar a experiência do usuário de seu site

agosto 10, 2016 6:00 pm Publicado por Deixe um comentário

copywriting-improve-ux

Quando falamos sobre a experiência do usuário e seu website, é fácil ser pego no design e em opções de navegação do site. Embora isso seja importante, as palavras que você colocar na página são igualmente essenciais para criar uma grande experiência do usuário.

Apesar de design e copywriting parecerem ser dois campos diferentes, eles têm muitas coisas em comum. Não só eles têm que trabalhar juntos, mas ambos têm como objetivo fazer o cliente responder de uma forma particular, normalmente para tomar algum tipo de ação.

Copywriting é o tipo de escrita que é usado principalmente para publicidade e marketing. Você pode usar técnicas de copywriting na página inicial e nas landing pages do seu website, e você pode até utilizar esses métodos quando escrever no blog (embora tenha em mente que o blog em geral cai em toda uma categoria diferente de copywriting).

Uma vez que o layout e o design do seu site está onde você quer que eles estejam, é hora de ajustar seu copywriting para a melhor experiência do usuário. Comece por seguir as dicas abaixo.

1 – Identifique seu usuário ideal

Esta primeira dica não começa colocando palavras na página. Ela começa antes de você ter escrito uma única palavra, e é importante porque ela irá guiar você para saber o que escrever.

Martin Stellar discute esta etapa em seu artigo no UXMatters.com. Ele diz:

Os redatores de maior sucesso passam dias pesquisando, tentando descobrir quem é o cliente ideal. Em seguida, eles criam um perfil desse cliente ideal que é o mais detalhado possível – idade, renda, tipo de café da manhã, número de meias incompatíveis, tempo médio atrás de um PC, número de filhos, sabor do creme dental. Eles querem saber tudo.

E adivinha? Isso resulta em uma cópia que é completamente relevante para o visitante do seu site.

Este é um passo difícil de entender no início, porque é provável que existam muitos tipos diferentes de usuários que visitam o seu site. Você pode se perguntar como o seu projeto pode ressoar com todos eles quando você só está se concentrando em um usuário.

Embora esse seja um bom ponto, Stellar aponta que há apenas um usuário ideal, “aquele que completa a tarefa que você quer que ele (ou ela) complete”. Se você falar com apenas uma pessoa, acaba contando uma história concisa que vai falar para os outros também.

Portanto, decida para quem você realmente quer falar. Dê a essa pessoa um nome fictício, trabalho, família e imagine-o/a ao escrever seu projeto. Em outras palavras, crie uma persona que representa o seu usuário. Não tente agradar a todos, porque, quando você faz isso, você acaba agradando a ninguém.

2 – Saiba em que fase eles estão no processo

Uma parte importante de conhecer o seu usuário ideal é entender onde eles estão no processo quando se trata de comprar o seu produto ou serviço. Por exemplo, se você está vendendo um plugin premium WordPress, seus usuários são muito propensos a ter um site WordPress. Você não precisa desperdiçar seu tempo convencendo-os de que necessitam ter o WordPress, a fim de utilizar o produto.

Você nunca deve assumir que eles estão tão adiantados no processo de compra que eles não precisam de uma explicação sobre as características de seus produtos.

Compreender o seu cliente nesse nível permitirá que você se concentre no que eles precisam saber, enquanto torna mais fácil para que você possa responder a perguntas antes mesmo de elas terem sido feitas, aumentando a experiência do usuário.

3 – Concentre-se no benefício, não na ação

Muitas vezes, quando estamos no lado da escrita do projeto, estamos pensando sobre que ação queremos que os leitores tomem. Apesar de nós devermos pensar sobre isso, não é nisso que os visitantes do site estarão focando. Certamente não é o principal interesse deles assinar a sua newsletter. Eles se preocupam com os benefícios que irão ter.

Por exemplo, você pode oferecer um e-book como um incentivo para entrar na sua lista. Você está pensando em como você quer que as pessoas insiram seu endereço de e-mail, porque isso é benéfico para você. Mas os visitantes do site estão pensando sobre o e-book eles irão obter de graça, porque isso vai beneficiá-los.

A verdadeira chave aqui é se concentrar nos desejos e nas necessidades deles. Assim, em vez de dizer, “Assine agora”, você pode dizer, “Pegue seu e-book agora”. Viu a diferença?

Aqui está um exemplo do The Daily Egg (blog do Crazy Egg).

copywriting-improve-ux-crazyegg

Observe como eles não usam a frase “Assine agora”. Em vez disso, concentram-se no que o usuário irá obter da sua newsletter: ela vai mantê-lo informado sobre as notícias da indústria. Além disso, eles destacam que os assinantes recebem acesso instantâneo ao seu e-book.

Esse conselho não se aplica apenas à sua newsletter! Se você está vendendo um produto, não tente vender os recursos. Venda os benefícios desses recursos. Não venda um purificador de ar. Venda uma casa livre de alergênios. Não venda um aspirador sem fio. Venda conveniência.

Torne a experiência fácil para o usuário, destacando o que eles irão ter de seu website e seus serviços, e há uma boa chance de que eles estarão mais dispostos a comprar de você.

4 – Use uma linguagem simples e familiar

Lembra de como nós falamos sobre pesquisar o seu público e definir o seu usuário ideal? Agora é hora de falar com esse usuário. Tentar soar inteligente ou fazer parecer que os seus serviços são os melhores, porque se você está usando palavras complicadas isso pode, na verdade, prejudicar seus esforços.

Você deseja que o usuário entenda o que você está dizendo… e rapidamente! Os usuários só gastam de 10 a 20 segundos em uma página, mas comunicar uma mensagem clara que eles não têm que lutar para compreender irá mantê-los lá por mais tempo.

Para se certificar de que você está usando a linguagem apropriada, visualize o seu cliente ideal novamente. Considere o que palavras e as frases irão ressoar com eles. O que é importante é pensar sobre como eles respondem especificamente a uma palavra por causa de suas experiências passadas e personalidade (todo mundo vai responder de forma diferente às mesmas palavras). O truque é saber quais palavras vão fazer o seu cliente ideal reagir da maneira que você quer.

A linguagem que você usa é diferente de palavras-chave. Palavras-chave são o que dizer às pessoas e aos motores de busca sobre o que é a sua página. Depois disso, você tem que fazer eles se importarem.

Por exemplo, uma universidade que usa frases como “avance em sua carreira” pode atrair os alunos para frequentar o seu campus, mas as pessoas não estão procurando por essa frase quando estão buscando faculdades.

A Apple é um grande exemplo de uma empresa que utiliza uma linguagem simples com seus clientes.

copywriting-improve-ux-apple

5 – Apenas diga o que você precisa dizer

Ao escrever o projeto para o website, torna-se muito fácil exagerar na hora de explicar o seu produto ou serviço, porque você não tem certeza se os clientes irão compreender a sua visão. A verdade é que você não precisa de um monte de palavras para comunicar a sua mensagem. Em muitos casos, menos é mais.

Isso é importante para a experiência do usuário, porque torna mais rápido e fácil para os usuários entenderem a informação mais importante. Percorrer parágrafo por parágrafo sobre cada detalhe de seu produto, empresa ou serviço torna difícil para os usuários escolherem o que você quer que eles se concentrem. Projeto curto também é fácil para os olhos!

Mas também não deixe que eu te limite. Eu não vou dizer que você só pode ter 300 palavras em sua home page. Não se trata de quão longa é seu projeto. É sobre o que ele diz. Corte a frescura, e mantenha o foco apenas no que seu público precisa saber.

Aqui está um grande exemplo da Netflix:

copywriting-improve-ux-netflix

A introdução deles é de apenas sete palavras com uma call-to-action de cinco palavras (viu como eles se concentram no benefício, conforme mencionado na dica #3?).

Se você rolar a página, a Netflix apresenta mais conteúdo, mas vai notar que eles não dizem mais do que eles precisam a fim de convencer os usuários a experimentarem o seu produto.

Se você precisa incluir mais artigos com profundidade em seu site, crie uma página separada para eles. Essa é outra maneira de contribuir para a experiência do usuário, porque os usuários esperam encontrar seus artigos em formato de blog, deixando a sua navegação no site organizada e fácil de usar.

6 – Preste atenção ao fluxo de informações

Pense em como a estrutura de informações em seu site aparece para o usuário. Ela faz sentido enquanto eles estão navegando em seu site? Se eles têm que desviar de informações, o seu projeto não está contribuindo para uma experiência do usuário positiva.

Por exemplo, se os usuários clicam em um botão que diz “Saiba mais sobre o nosso produto”, eles vão esperar para ver uma página detalhando características do seu produto, preços, depoimentos de clientes e informações sobre como comprar. Eles não devem acabar em uma página com uma imagem do produto, mas sem nenhuma explicação sobre as suas características.

Não é apenas na navegação que você tem que prestar atenção. Considere as informações que precisam vir em primeiro lugar e como você pode fazer a transição para o resto do seu projeto. Por exemplo, não faz muito sentido mencionar o preço do produto antes que os clientes saibam o que é o produto.

O WordPress.com é um bom exemplo que mostra um fluxo lógico de informação.

copywriting-improve-ux-wordpress

Eles começam falando sobre o que o produto faz (permite criar um site de graça), e, em seguida, falam sobre os benefícios do produto e por que eles são a escolha certa (“WordPress está em mais de 25% da internet”).

Assim que você clica no botão “Criar Site”, você é guiado através de um fluxo lógico, escolhendo o tipo de negócio que você tem, o tema que você deseja para o seu site e qual nome de domínio que você quer.

Pense em como os usuários irão ler o seu conteúdo e navegar no seu site. Às vezes, isso pode significar repetir a informação várias vezes ou deixar algumas de fora. Por exemplo, nem todos irão visitar a sua página “Sobre”, então você pode mencionar alguns dos dados da sua empresa em outros lugares quando for relevante.

Além disso, nem todo mundo vai direto para sua home page quando visita seu site pela primeira vez. Eles podem vir através de um artigo de um blog ou outro link, por isso pense em cada página como uma página única.

7 – Use subtítulos para digitalização fácil

As pessoas leem páginas web de forma diferente do que elas leem páginas impressas. Elas começam olhando a página procurando por áreas de interesse e, em seguida, olham para subtítulos, resumo, leem para obter detalhes e, em seguida, clicam para começar a agir.

Porque os usuários olham dessa forma as páginas da web, você pode tornar muito mais fácil para eles obterem as informações de que precisam, destacando pontos importantes com subtítulos.

Aqui está um exemplo do Evernote:

copywriting-improve-ux-evernote

Eles usam os subtítulos “write”, “collect”, “discuss” e “present” para mostrar aos usuários o que eles podem fazer com o aplicativo. Isso ajuda a agilizar o processo de procura e leitura para que os leitores possam pegar a essência da informação rapidamente.

8 – Concentre-se em informar e persuadir o seu público

Podemos usar conteúdo online para educar e entreter pessoas, como através de posts de blogs. Copywriting é diferente. Sua home page, página de serviços e páginas de destino semelhantes estão lá para vender seu produto ou serviço. Enquanto elas podem ensinar aos usuários alguma coisa e fazê-los rir, seu principal objetivo deve ser o de informar e persuadir os usuários.

Ao se concentrar em informar e persuadir seus leitores a tomar ação, você não está desperdiçando seu tempo. Isso, por sua vez, aumenta a experiência do usuário.

Vamos dar um exemplo. Uma empresa que vende um plano de dieta não deve perder tempo dos visitantes do site, dizendo que eles precisam perder peso e que a maneira de fazer isso é através de dieta. Os usuários querem saber sobre os resultados que podem esperar do plano de dieta e o que o torna diferente de outros planos.

9 – Use a palavra “você”

Você já deve ter notado que os blogueiros falam diretamente com você usando a palavra “você”. Isso leva você para a história e faz você se sentir conectado com os conselhos que eles estão dando. Você pode usar o mesmo princípio no copywriting para fazer o usuário se sentir mais conectado no seu projeto.

Precisa de um exemplo? Vamos pegar o parágrafo que você acabou de ler e remover a palavra “você”:

“Blogueiros falam diretamente com o leitor, usando a palavra “você”. Isso leva os leitores para a história e os faz se sentirem conectados com os conselhos que eles estão dando. O mesmo princípio pode ser aplicado no copywriting para tornar o usuário mais conectado no projeto”.

Não é tão envolvente, certo? Isso é porque eu não estou falando com você.

Aqui está um grande exemplo do Mint.com:

copywriting-improve-ux-mint

Na introdução de duas frases, eles usam a palavra “você” ou “seu” três vezes!

Sempre que puder, não fale sobre você mesmo. Falar sobre como você pode ajudar o usuário, e você vai melhorar a experiência deles em seu site.

10 – Escreva para o usuário

Nem precisava falar, mas essa tática precisa ser repetida: escreva para o usuário, não para motores de busca.

Constantemente somos pegos usando palavras-chave e contando palavras, pensando que há uma fórmula específica que precisamos para manter nossa classificação elevada nos motores de busca. Quando pensamos muito sobre isso, só prejudicamos nossas chances de converter visitantes para o site.

Você não quer que suas palavras-chave pareçam pouco naturais – que é o que acontece frequentemente quando você está focando nos algoritmos dos motores de busca. Escrever para os motores de busca só afasta você da experiência do usuário.

Coloque seus usuários em primeiro lugar. Search engine optimization tem que vir em segundo lugar, mas, idealmente, deve vir naturalmente caso você se concentre no usuário. Afinal de contas, os motores de busca como o Google estão interessados em entregar resultados de pesquisa com qualidade para pessoas reais e se o seu projeto não entregar boa experiência de usuário que converta, não importa quantas pessoas acabem parando em seu site, já que elas não irão tomar ações.

11 – Teste seu projeto

No caminho para criar uma grande experiência do usuário, testes com usuários é um processo natural que precisa ser realizado. O mesmo se aplica ao copywriting. Um escritor não pode assumir o quão bem seu projeto vai ajudar na experiência do usuário e se ele irá ou não converter. Dados reais é que vão nos mostrar qual versão do nosso projeto é realmente a melhor.

Basta mudar uma ou duas palavras para fazer uma enorme diferença, por isso não tenha medo de executar um teste A/B para ver se “Baixe agora” ou “Pegue seu e-book grátis” converte melhor.

Além disso, não se limite a observar suas taxas de conversão. Peça às pessoas para ler o seu projeto e veja a reação delas. Por exemplo, peça a elas para procurar os recursos do produto, e assista-as seguindo as instruções no seu site. Como elas interagem com a página e seu conteúdo para obter as respostas às suas perguntas? Quais são seus pensamentos e sentimentos pessoais, enquanto elas estão lendo e navegando no seu site?

Em seguida, peça a elas para resumir o que leram. Se conseguirem fazer isso sem olhar para a página, seu projeto está cumprindo seu papel.

Entendendo a cabeça do seu visitante do site dessa maneira, você pode ter uma ideia melhor de como o seu projeto se correlaciona de verdade com a experiência do usuário.

Encerrando

Com estas 11 dicas em mente, você pode criar um projeto convincente que leva a uma melhor experiência para os visitantes do seu site. Embora esta lista possa parecer esmagadora a princípio, você sempre pode ajustar as partes do seu projeto e testar novas ideias conforme a evolução do seu website.

Então, você vai ficar com o seu projeto web atual, ou você vai colocar estas dicas em uso e escrever um projeto para aumentar a experiência do usuário em seu site? A escolha é sua.

***

UsabilityGeek é um blog de UX que faz a ponte entre pesquisa acadêmica e teórica e recomendações práticas e pessoais sobre como entregar uma ótima experiência de usuário. Eles convidam colaboradores e autores para oferecer um hub de dicas e insights de experts do setor. Esta tradução foi feita com autorização pela Redação iMasters. Você pode checar o original em: http://usabilitygeek.com/11-copywriting-techniques-improve-user-experience-site/

Mensagem do anunciante:

Leitor iMasters, seu site não tem gerado resultados? Veja este infográfico da Bluehost Brasil e descubra como mudar isso já.

Source: IMasters

Categorizados em:

Este artigo foi escrito pormajor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *