4 dicas para uma transformação ágil

março 15, 2017 1:00 pm Publicado por Deixe um comentário

Quando vamos a eventos sobre Agile e conversamos sobre o meio, é muito comum chegarmos no assunto das disfunções que encontramos no dia-a-dia. Cada um de nós tem suas histórias de terror de estimação, e o cenário é recorrente: devíamos ser ágeis, mas estamos longe disso, e a maioria dos problemas é causada pela influência da pirâmide de poder, cuja estrutura data da Revolução Industrial, mas que ainda ecoa em nossos relacionamentos profissionais nos dias de hoje:

  • Emprego é aquilo que paga seu salário;
  • Quem controla o pagamento controla o poder;
  • Hierarquia é a única alternativa viável ao caos.

Parece familiar, não?

Quando pesquisamos sobre como gerar transformação ágil em empresas de estrutura formal, rapidamente nos damos conta de que estes são os valores essenciais que precisam ser mudados:

  • Emprego é aquilo que permite exercer a criação por meio de propósito e maestria;
  • O pagamento é relevante na medida em que proporciona qualidade de vida, de forma que o dinheiro não seja uma preocupação;
  • Autonomia é ordem sem a necessidade de controle.

É absolutamente inviável conciliar estes dois conjuntos de valores, e por isso é tão importante, ao fazer uma transformação ágil, começar criando uma bolha, dar início com um único time, testando o que funciona naquele ambiente, para, então, lentamente contagiar outros times à medida em que o primeiro amadurece. Cultura não é um botão que você aperta em si mesmo, que dirá em uma empresa inteira.

A ideia é viabilizar que você contagie pessoas positivamente. Neste contexto, estes são os guias que você deve ter em mente ao fazer uma transformação ágil:

  1. Você vai ouvir muito sobre como algumas pessoas não sabem trabalhar em equipe. Mas você não consegue determinar antecipadamente se alguém é “bom” ou “mau” enquanto membro do time. Em maioria, as motivações erradas se tornaram tão arraigadas na pessoa que primeiro você deve oferecer novas motivações, e então observar suas reações e o que deve ser trabalhado;
  2. Dê a informação completa, sem omissões. Deixe todos os objetivos claros e ajude o time a determinar suas metas e métricas de sucesso. A única coisa sobre a qual você realmente deve insistir é que eles mostrem frequentemente o resultado do trabalho e meçam o progresso em direção às metas;
  3. Cooperação e autonomia podem causar o caos no início do processo, mas ser responsabilizado pelo resultado durante uma Review (ou qualquer apresentação frequente de resultados do trabalho) vai rapidamente afetar o time com peer pressure. Permita que o time se auto-organize e facilite as interações para que eles possam encontrar sozinhos as maçãs podres (se houver) e lidar com elas;
  4. Não tente abolir muitos controles industriais de uma vez só, mas tenha em mente que seu objetivo final é substituir todos eles por métricas que focam no valor que vocês agregaram, e não em pontualidade, tempo de ociosidade, esforço ou tempo gasto por tarefa.

Estes quatro passos são as iniciativas mais básicas que você precisará tomar, seja qual for o ambiente que você precisa transformar. Eles serão os pilares, sem os quais qualquer framework Ágil irá ruir, porque ser Ágil não é aplicar um framework, método ou ferramenta. Ser Ágil está no mindset e nos valores que você instiga em seu trabalho e na sua vida.

Ficou alguma dúvida ou tem algo a acrescentar? Aproveite os campos abaixo. Até a próxima!

***

Artigo publicado originalmente em: http://www.concretesolutions.com.br/2017/03/08/4-dicas-transformacao-agil/

Source: IMasters

Categorizados em:

Este artigo foi escrito pormajor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *