Garota, eu fui pra Califórnia

fevereiro 24, 2017 5:00 pm Publicado por Deixe um comentário

No final de 2016 o projeto StartupSC selecionou algumas empresas catarinenses para participarem de uma viagem ao Vale do Silício, para participar do maior evento sobre Software as a Service do mundo, o SaaStr Annual. O Planrockr foi uma das escolhidas e neste artigo vou fazer o meu relato de tudo que vi de interessante nestes cinco dias.

Google Launchpad Accelerator

Já no primeiro dia, tivemos a oportunidade de participar de um evento que estava ocorrendo dentro do Google Launchpad Accelerator, novo projeto da gigante das buscas (e do machine learning, a julgar pelas palestras). Assistimos a algumas apresentações sobre o TensorFlow, Google Cloud, dicas de marketing e analytics. Uma das coisas legais que apresentaram foi o Consumer Barometer com vários dados interessantes sobre o comportamento dos usuários em diversos países.

Na parte da tarde, tivemos uma sessão de mentorias individuais, onde cada empresa pode conversar com mentores do Google. Tive a oportunidade de apresentar o Planrockr para quatro mentores, dois deles americanos. Foi a primeira vez que apresentei o produto para alguém não-brasileiro e isso validou uma das nossas premissas: a forma como desenvolvemos software no Brasil é igual a qualquer parte do mundo, então, o Planrockr pode ser um produto global! Os feedbacks foram ótimos e fiquei ainda mais empolgado e cheio de ideias para as próximas atualizações. Um especial obrigado ao amigo Ale Borba que deu uma sugestão fantástica!

SaaStr – dia 1

Vou listar algumas palestras que eu vi e os pontos que achei mais interessantes.

When a product everyone loves is worth $450 million

O CEO do Trello contou a história da empresa desde o início, dentro da Fog Creek (também criadores do StackOverflow), até a compra pela Atlassian. Um dos pontos interessantes foi o comentário que, além do dinheiro, o que contou muito no momento da venda da empresa foi perceber que a Atlassian tinha uma cultura bem parecida com o Trello, o que ajudou muito na decisão.

The second ten years (at one of the web’s most iconic companies)

O mais novo CEO do Evernote contou um pouco sobre os planos de futuro da empresa, mas a palestra foi um pouco boring e muita gente aproveitou para conhecer o local do evento.

Build, break, stretch, repeat: lessons from scaling Google & stripe

Essa palestra foi uma das mais comentadas do primeiro dia. A Claire Hughes Johnson contou alguns casos de sucesso que implementaram no Google e Stripe para crescer rapidamente sem perder o controle.

Na maior parte do primeiro dia, eu passei conhecendo os expositores, conversando com outros empreendedores brasileiros e acabei pegando pedaços de outras palestras como a “How to Market to Customers Small, Medium, Large and Extra-Large: All at the Same Time from the Same Budget”, da Box, e “Benchmarking for CEO’s: How to Really Know How Well You’re Doing”.

O pessoal do StartupSC gravou vídeos com as impressões das principais palestras do primeiro dia.

SaaStr – dia 2

O melhor dia do evento!

Twilio: the inside story

Gravei um vídeo falando sobre essa palestra, uma das minhas preferidas.

Veeva: the biggest vertical SaaS success story of all time

Essa palestra foi uma surpresa. Poucas pessoas conhecem a Veeva, pois ela tem um mercado restrito, empresas farmacêuticas e médicas, mas é considerada uma das empresas de maior sucesso dos últimos anos. O Peter Gassner, CEO e founder, apresentou com uma calma e segurança incríveis. Eu e várias pessoas com quem conversei tivemos forte vontade de mandar o currículo só para trabalhar com ele. E a apresentação gerou lições como “você define o preço do que faz, as pessoas decidem se vale ou não”, “você deve entregar algo premium, se cobra algo premium”, “não contrate pessoas pelo que elas podem render agora, mas pelo que elas podem render no futuro” e “revenue follow the people!”.

Fast growth, mindful business

Apresentada pelo Dustin Moskovitz, nada menos do que um dos fundadores do Facebook e atual CEO do Asana. Ele falou como a cultura de trabalho desenfreado das startups não funciona a longo prazo e como estão criando uma cultura bem mais saudável na Asana, tanto para a empresa, quanto para as pessoas. Devo escrever um artigo sobre isso em breve, pois concordo com vários pontos que ele citou.

AI: the new platform for SaaS

A palestra mostrou os potenciais que a inteligência artificial fornece para novos negócios. A principal dica foi “não venda machine learning ou IA, mas, sim, venda soluções. O cliente não quer saber o quão complexa é sua tecnologia; ele quer ter seus problemas resolvidos”.

After marketo: 10 things I’m doing even better the second time

Jon Miller, criador do Marketo, contou um pouco sobre a história de sucesso, o que ele aprendeu no processo e como está fazendo ainda melhor com a nova empresa, a Engagio. Uma das coisas é “definir a cultura da empresa nos primeiros dias. Se deixar para fazer isso mais tarde, é muito mais difícil”.

10 ways to get 110% out of your dev/engineering teams

Esperava um pouco mais dessa palestra, talvez por que várias das dicas já estamos implementando na Coderockr e Planrockr, mas mesmo assim consegui anotar algumas ideias interessantes que quero implementar e escrever alguns artigos sobre.

Confira as impressões do pessoal do StartupSC sobre o segundo dia do evento.

SaaStr – dia 3

O último dia tinha um foco maior em palestras voltadas a investimento e relações com investidores. Apesar de não ser o momento do Planrockr procurar investimento, aprendi várias lições importantes.

Numbers that actually matter for founders

Ótimas dicas de como focar em números que realmente importam para entender o sucesso ou fracasso de uma empresa. Comentou que cada empresa, ou fase, devemos selecionar uma “estrela guia” (tradução livre para north star) e manter o foco nesse número. Slides

Building a product both CIOs and devs love

Estava ansioso por esta apresentação da April Underwood, do Slack, mas não consegui assistir toda, pois passei boa parte apresentando o Planrockr para outros empreendedores que estavam no evento (tempo bem investido, claro). Ela falou sobre a transformação do Slack de um aplicativo de chat em uma plataforma para a criação de outros produtos e como isso está gerando várias empresas interessantes.

The inside story of AngelList, and how funding is – and isn’t – being disrupted

O CEO do AngelList falou um pouco sobre a história do site e sistema de investimento coletivo que eles criaram e como isso está mudando aos poucos o cenário do mercado. Comentou sobre a decisão de comprar o Product Hunt e surpreendeu dando uma aula de política.

Top lessons learned after 200+ SaaS investments

Esta apresentação da SalesForce serviu para desmistificar um pouco a visão de que grandes empresas são antiquadas e não sabem se mover bem entre o mundo das pequenas startups. E serviu para mostrar mais uma vez como o mercado brasileiro, principalmente das corporações, está décadas atrasado em relação a mentalidade e profissionalismo.

The state of the cloud

Uma das palestras mais impactantes do evento. Os apresentadores fizeram um resumo de tudo que aconteceu de importante no mercado em 2016 (dando destaque para as empresas investidas por eles, claro) e deu ótimos insights sobre o que vai acontecer em 2017. A maior dica foi “estamos entrando na era screenless, onde as pessoas começam a usar cada vez mais a voz como meio de acesso a tecnologia”. Apoiaram tudo com ótimos números nesses slides

Venture-backed CEO: lessons learned inside and outside of Silicon Valley

A Promise Phelon deu um show de apresentação falando sobre as diferenças entre o vale e outros locais do País (o que vale ainda mais para nós brasileiros), como é possível ter sucesso além da receita “padrão”.

Confira as impressões dos empreendedores catarinenses quanto ao terceiro dia do evento.

Na sexta-feira, aproveitamos para fazer um tour até Stanford (pensei em fazer a matrícula da Alice, e guardar dinheiro para as mensalidades pelos próximos 18 anos hehe), sede do Google e Apple.

Quero aproveitar e dar os parabéns para o pessoal do Sebrae SC, em especial ao Alexandre Souza, por organizar todo ano estas viagens com as empresas catarinenses. É incrível o quanto aprendi nestes poucos mas intensos dias, tanto no evento quanto na interação com outras empresas.

A principal lição que aprendi é que estamos a décadas de distância da realidade americana, mas que é possível ter sucesso usando outros formatos além do “sonho americano” (rios de dinheiro fluindo, dezenas de empresas quebrando para apenas algumas darem certo, etc). Então, vamos que vamos!

Source: IMasters

Categorizados em:

Este artigo foi escrito pormajor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *