Gerenciamento de projetos para além de técnicas e ferramentas

março 27, 2017 1:00 pm Publicado por Deixe um comentário

Quando o assunto é gerenciamento de projetos, muito se fala em técnicas, processos e ferramentas. Porém, um aspecto central que muitas vezes é deixado de lado, é o fator humano (isso mesmo, as pessoas!).

Técnicas e processos são relativamente fáceis de aprender. Existem no mercado bons cursos (e bons profissionais) que ensinam isso. Mas manter o trabalho organizado, uma equipe informada, feliz e produtiva é um papel fundamental do GP (gerente de projetos) e uma habilidade desafiadora para poucos.

Recentemente, fiz o curso de Gerenciamento de Projetos Digitais, organizado pela Trampos Academy e vários ensinamentos e insights vieram sobre o assunto. Aqui vão alguns pontos que foram mais inusitados (no meu ponto de vista) no sentido de gestão do valor humano. É pra pensar!

Transparência

Ninguém gosta de ser enganado. Os clientes não gostam de surpresas, e as equipes não gostam de não saber em que ponto está o projeto. É parte do trabalho do gerente de projetos retratar uma imagem realista do que está acontecendo.

Cultivar um ambiente de trabalho aberto é fundamental para impulsionar o desempenho e o comprometimento da equipe. Assim como para promover um relacionamento de confiabilidade com o cliente, melhorando a comunicação nas duas pontas e aumentando a fluidez no desenvolvimento do projeto.

O gerente de projetos precisa de confiança para saber quais recursos serão necessários para realizar uma entrega de sucesso. Os stakeholders precisam acreditar que a equipe vai deixar claro o status do projeto, os desafios e dificuldades à medida que eles forem aparecendo. A transparência é o primeiro passo no processo de obtenção de confiança.

Saber dizer não

“Não” é uma resposta que as pessoas não gostam de ouvir, muito menos os clientes. Porém, colocar a credibilidade já conquistada ou em processo de conquista em risco por conta de uma entrega improvável, pode ser danoso ou até fatal.

Dizer “sim” numa situação desfavorável ou pouco provável só vai levar a uma outra situação potencialmente pior, mais tarde. Seja em relação à equipe, que primeiro ficará desapontada, pois o acordo inicial fora rompido e depois será sobrecarregada e, assim, mais suscetível a cometer erros. Ou ainda em relação ao cliente, que não terá o esperado conforme fora combinado. O GP fica desacreditado e perde dos dois lados.

Uma lição não só de gerenciamento de projetos, mas para vida: é preciso maturidade e equilíbrio emocional para dizer “não”. Convencer o cliente que aquele prazo é absurdo ou que determinada funcionalidade não irá funcionar bem daquele jeito, vai custar menos (a longo e curto prazo) do que fazer uma entrega de baixa qualidade.

Clima amistoso

De acordo com a Gallup Organization, pessoas que tem bons amigos no ambiente de trabalho são 7 vezes mais propensas a se envolver com em seus empregos. Afinal, como seres humanos que somos, necessitamos de amizades e boas interações assim como de água e comida.

Boas relações de trabalho na equipe podem ser a diferença entre o sucesso esplendoroso e o fracasso absoluto de um projeto.

Quão melhores forem os relacionamentos entre as pessoas da equipe, mais felizes e produtivas elas serão. Além disso, em um momento de crise ou dificuldade no projeto, as pessoas terão empatia e mais envolvimento para resolver a questão de forma adequada. Um bom gestor sabe disso e promove esse clima amistoso dentro da sua empresa.

No melhor cenário, o cultivo de bons relacionamentos começa lá no topo da pirâmide hierárquica e se propaga até a base dela.

Um importante porém

Uma cultura organizacional saudável funciona como campo fértil para o desenvolvimento desse conjunto de qualidades (transparência, maturidade, confiança e boas relações). E estabelecer essa cultura pode ser o diferencial para conquistar os corações de clientes, funcionários e fornecedores.

Um estudo não recente do Project Management Institute (PMI) já apontava: uma mudança de cultura organizacional direcionada ao compartilhamento, colaboração e capacitação é obrigatória para alavancar o desempenho dos negócios.

Há uma relação significativa entre o ambiente de trabalho positivo e o sucesso dos projetos. Os melhores GPs sabem disso e se empenham para cultivar um bom senso de comunidade nas equipes. Em uma cultura organizacional sólida, que seja pilar para essa comunidade, as pessoas partilham valores, se preocupam umas com as outras e possuem objetivos em comum.

Source: IMasters

Categorizados em:

Este artigo foi escrito pormajor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *