Iniciando com React – #2 Criando a estrutura do projeto

março 22, 2017 5:00 pm Publicado por Deixe um comentário

Montar a estrutura de um projeto React e configurar o build manualmente, pode ser um pouco confuso de início. Por esse motivo, iremos utilizar o comando create-react-app, que gera por padrão uma estrutura básica, pronta para começarmos a desenvolver nossa aplicação. Dessa forma, você não precisa entender todo o processo do build antes mesmo de criar o seu primeiro componente.

Posteriormente, veremos cada parte do build para entender melhor com o que estamos lidando.

Instalando Create React

Para a instalação do CLI, é necessário que você já tenha o Node e o NPM instalados na sua máquina. Para verificar se eles estão instalados, execute os seguintes comandos no terminal:

$ node -v
$ npm -v

É aconselhável que a versão do Node seja igual ou superior à 5.10.0 e do NPM seja igual ou superior à 3.0.0.

Caso você ainda não tenha o Node e o NPM instalados, faça download pelo site e siga os passos do instalador: https://nodejs.org/en/.

output dos comandos node -v e npm -v

Com o node e o npm instalados, execute o seguinte comando:

$ npm install -g create-react-app

O comando acima instala globalmente o módulo create-react-app, para que o mesmo fique acessível pelo terminal. O processo de instalação deve finalizar em alguns minutos.

Criando o primeiro projeto

Com o comando abaixo, iremos criar um projeto chamado my-app:

$ create-react-app my-app

O comando acima gera a estrutura do nosso projeto e a coloca em uma nova pasta com o mesmo nome, my-app. Vamos entrar no diretório do projeto utilizando o comando:

$ cd my-app

E por fim, iniciaremos o build da aplicação.

$ npm start

Além de iniciar o build da aplicação, o comando acima levanta um servidor e fica escutando por alterações nos arquivos.

Já é possível acessar a URL http://localhost:3000/ no navegador e ver uma tela de boas vindas:

Explorando a estrutura do projeto

Há inúmeras maneiras de organizar um projeto React, mas esse não é o foco desse artigo. Aqui, iremos explorar a estrutura default para entendermos como as partes se conectam, e o que realmente é necessário para o bootstrap do React.

O create-react-app cria a seguinte estrutura inicial:

my-app/
  README.md
  node_modules/
  package.json
  .gitignore
  public/
    favicon.ico
    index.html
  src/
    App.css
    App.js
    App.test.js
    index.css
    index.js
    logo.svg

Vamos manter nosso foco nos arquivos package.json, public/index.html e nos arquivos da pasta src.

Scripts e dependências

Observe abaixo o conteúdo do package.json que lista as dependências do projeto e possui alguns aliases para os scripts envolvidos no build:

{
  "name": "my-app",
  "version": "0.1.0",
  "private": true,
  "dependencies": {
    "react": "^15.4.2",
    "react-dom": "^15.4.2"
  },
  "devDependencies": {
    "react-scripts": "0.9.5"
  },
  "scripts": {
    "start": "react-scripts start",
    "build": "react-scripts build",
    "test": "react-scripts test --env=jsdom",
    "eject": "react-scripts eject"
  }
}

Como podemos ver no arquivo acima, temos os módulos react e react-dom declarados como dependência, e o react-scripts declarado como uma dependência de desenvolvimento. O react-scripts é o módulo que encapsula todos os scripts e configs do build.

Também podemos observar que estão sendo declarados alguns scripts, que possuem funcionalidades conforme listadas abaixo:

  • start: Inicia o build no modo de desenvolvimento;
  • build: Executa o build do projeto otimizado para produção;
  • test: Executa os testes do projeto;
  • eject: Traz para dentro do nosso projeto, toda a configuração que o react-scripts abstrai. Não use este comando por enquanto! Utilizaremos mais a frente para estudar o processo do build.

Index

Observe abaixo o código do arquivo public/index.html:

<!doctype html>
<html lang="en">
  <head>
    <meta charset="utf-8">
    <meta name="viewport" content="width=device-width, initial-scale=1">
    <link rel="shortcut icon" href="%PUBLIC_URL%/favicon.ico">
    <title>React App</title>
  </head>
  <body>
    <div id="root"></div>
  </body>
</html>

O arquivo index.html vem com a marcação mínima necessária para iniciar nossa aplicação. Porém, é possível observar que não há tags de scripts ou estilos. Não se preocupe, as mesmas serão injetadas automaticamente no build.

Por hora, a única coisa importante a observar é a tag div com o id root na linha #10, é ela que o React irá utilizar para renderizar nossa aplicação.

Componente raiz

Vamos explorar o conteúdo da pasta src. Observe abaixo o arquivo App.js, que contém o componente raiz da aplicação:

import React, { Component } from 'react';
import logo from './logo.svg';
import './App.css';

class App extends Component {
  render() {
    return (
      <div className="App">
        <div className="App-header">
          <img src={logo} className="App-logo" alt="logo" />
          <h2>Welcome to React</h2>
        </div>
        <p className="App-intro">
          To get started, edit <code>src/App.js</code> and save to reload.
        </p>
      </div>
    );
  }
}

export default App;

O componente acima é definido com a class e extende a classe Component do React. Existem duas formas de definir componentes: através de functions, ou através de class. Em um futuro artigo, veremos as diferenças entre uma e outra.

Um componente deve sempre implementar um método render, que retorna um JSX do que deve ser mostrado na tela, ou null quando não deve mostrar nada.

JSX

O que parece ser um HTML dentro do método render, é na verdade JSX, um sintatic sugar para a API do React. As principais diferenças no dia-a-dia entre HTML e JSX são:

  • O class do html passa a se chamar className, porque o termo class é uma palavra reservada no Javascript;
  • O for da tag label passa a se chamar htmlFor, pelo mesmo motivo do class, de ser uma palavra reservada;
  • O conteúdo que estiver entre chaves {}, será interpretado como Javascript;
  • Todos os atributos são nomeados em lower camelcase. Sendo assim, atributos como onclick, passam a se chamar onClick. O mesmo vale para atributos que utilizam hífen -, stroke-width por exemplo, passa a se chamar strokeWidth;
  • Todo conteúdo do retorno de um render, deve estar dentro de um único wrapper, caso contrário, o seguinte erro é apresentado: Adjacent JSX elements must be wrapped in an enclosing tag while parsing file.

É importante lembrar que o JSX é convertido em um código React, por esse motivo, devemos importar o módulo React em todo arquivo que utiliza a sintaxe.

JSX já é utilizado por outras libs além do React e vem se tornando um padrão para definição de marcação de componentes.

É possível seguir em frente com as informações apresentadas acima. Mas se você ficou instigado a saber mais sobre JSX, acesse: facebook.github.io/react/docs/introducing-jsx.html.

Importação de arquivos de estilos e imagens

Junto com a base do projeto, já vêm configurados os loaders para os formatos svg e css. Quando importamos um arquivo CSS, o conteúdo do mesmo é injetado na nossa aplicação, permitindo assim que utilizemos os estilos e classes em nossos componentes.

Já o svg funciona de uma maneira um pouco diferente. Ao importarmos um svg, obteremos uma referência, um caminho para o arquivo, e poderemos utilizar essa referência em tags como <img> e <object>. A importação de outros arquivos de imagem como jpg, png e gif funcionam dessa mesma maneira, porém, nessa estrutura inicial apenas o svg é suportado.

Bootstrap da aplicação

Vamos observar abaixo o código do arquivo index.js, é nele que ocorre a inicialização da nossa aplicação:

import React from 'react';
import ReactDOM from 'react-dom';
import App from './App';
import './index.css';

ReactDOM.render(
  <App />,
  document.getElementById('root')
);

Na linha #2 do arquivo acima, estamos importando o ReactDOM, o módulo do React responsável pela manipulação do DOM.

Na linha #3, importamos nosso componente raiz, o App.js que acabamos de ver mais acima.

O bootstrap do React se baseia em você dizer para ele, o que renderizar e onde injetar o que ele renderizou. Estamos fazendo isso na linha #6, através do método render do ReactDOM, que espera como primeiro parâmetro um componente, e como segundo parâmetro, um elemento do DOM que será utilizado para injetar todo o HTML renderizado.

O React renderiza os componentes e gera um output HTML

No nosso caso, estamos passando o componente App para ser o raiz e o elemento que possui o id=”root” para ser o que conterá toda a aplicação. Lembra da nossa tag no arquivo public/index.html? Ela mesmo!

Não abordamos o conteúdo dos arquivos css e svg, pois os mesmos não possuem nenhuma particularidade quanto ao React. Também não abordamos a parte de testes, porque futuramente haverá um post específico sobre este tema. Mas nada impede que você os explore. Seja curioso!

Conclusão

Aprendendo como criar a estrutura do projeto e a entendendo bem, torna os próximos passos muito mais fáceis. O React tem alguns princípios básicos, que bem aprendidos, permitem que construamos desde aplicações simples até as mais robustas.

No próximo post veremos como criar componentes e aprenderemos sobre o ciclo de vida de um componente React. Siga-nos e não perca os próximos artigos!

Source: IMasters

Categorizados em:

Este artigo foi escrito pormajor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *