O que é Lead time, Cycle Time e Reaction Time?

outubro 17, 2016 11:00 am Publicado por Deixe um comentário

img-1

Provavelmente você já deve ter lido a seguinte frase:

“If you can not measure it, you can not improve it.”

Ela é atribuída ao matemático e físico irlandês Lord Kelvin e faz todo o sentido, principalmente no mundo atual, onde estamos cercados por números e dados.

Em se tratando de projetos ágeis, existem várias métricas que podemos medir e melhorar, e neste artigo vou comentar sobre três delas.

A primeira métrica é o Lead Time, que pode ser definida como:

A diferença entre o momento em que a tarefa é criada e o momento em que ela entra em seu estado final.

Com o Lead Time, podemos analisar o tempo total do ciclo de uma tarefa, desde sua criação até sua finalização. Essa informação é importante para entendermos o impacto e o valor que estamos entregando aos usuários. Por exemplo, em um cenário de um projeto em constante evolução, com usuários solicitando novas funcionalidades ou reportando erros, é importante termos um Lead Time baixo. O mesmo vale para cenários de suporte técnico ou atendimento a usuários.

O Lead Time pode ser “quebrado” em mais duas métricas, que são o Cycle Time e o Reaction Time. Vamos analisar primeiro o Cycle Time, que pode ser definido como:

A diferença entre o momento em que a tarefa é considerada “em progresso” até o momento em que ela entra em seu estado final.

Dessa forma, podemos analisar o tempo em que a tarefa foi realmente trabalhada, desde o momento em que alguém começou a realizar alguma modificação em seu estado.

Já o Reaction Time é o intervalo de tempo desde a criação da tarefa até o início do trabalho.

Por exemplo, digamos que o Lead Time médio de um projeto seja:

2 dias, 20 horas e 14 minutos

E o Cycle Time seja:

1 dia, 9 horas e 33 minutos

Podemos então perceber que nosso Reaction Time seria:

1 dia, 10 horas e 41 minutos

Seguindo a frase de Lord Kelvin, agora que temos nosso projeto mensurado, podemos melhorá-lo. Analisando os dados acima, podemos perceber que durante metade do Lead Time a tarefa está esperando por algum membro da equipe iniciar o trabalho. Dessa forma, a equipe pode focar em otimizar o Cycle Time, entregando tarefas mais rapidamente, ou novos membros podem ser incluídos na equipe para que mais tarefas possam ser realizadas em paralelo.

Podemos ir mais a fundo e analisar em detalhes o Cycle Time, observando quanto tempo as tarefas estão consumindo em cada fase do processo, como Review, Teste etc.

img-2

Cada equipe pode, de acordo com seu objetivo, interpretar essas métricas e tomar decisões de forma diferente, mas o fato é que sem esse conhecimento é muito mais complicado para todos os envolvidos.

Que outras métricas você está usando em seus projetos? Você interpretaria o exemplo acima de outra forma? Compartilhe suas experiências e opiniões sobre o assunto.

E lembre-se que o Planrockr fornece estas e outras métricas importantes para o dia a dia dos projetos. Acesse agora mesmo, use a conta free e use o cupom “50-OFF” para receber 50% de desconto no primeiro mês de qualquer plano premium.

Mensagem do anunciante:

Graças ao aumento da adoção de métodos ágeis, a procura por profissionais capacitados aumentou. Adapte-se para esse novo mundo, venha capacitar-se com a gente.

Source: IMasters

Categorizados em:

Este artigo foi escrito pormajor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *