Por que os designers de UX devem abandonar as barras laterais em 2016

setembro 14, 2016 6:00 pm Publicado por Deixe um comentário

ux-1
A indústria de UX precisa se moldar. Quantas barras laterais devemos criar antes de percebermos coletivamente o quanto precisamos abandonar isso?

Em uma indústria em que a troca de informações é tão crucial, não é surpresa que a barra lateral tenha florescido. Na sua essência, a barra lateral é apenas uma coleção de links – um hub, se você quiser, onde informações adicionais podem ser encontradas.

Aqui está a verdade, e não me odeie por ser o único a dizê-la: os designers de UX dependem demais da barra lateral. Eu te imploro para pedir a um designer de UX para defender a decisão de usar barras laterais em seu design, e veja quanto tempo ele leva para chegar a uma resposta.

Mas o que você tem contra a humilde barra lateral?

Barras laterais são inúteis

Não é que toda barra lateral é inútil… mas a maioria é realmente inútil. O que distingue uma barra lateral útil de uma barra lateral inútil? Finalidade.

Pergunte a si mesmo: “o que eu vou colocar na barra lateral?”. Se sua resposta for “links”, então seja mais específico. São links de navegação? Conteúdo sugerido?

Nem todos os links são criados iguais, e nem todas as barras laterais são inúteis. Barras laterais de navegação podem ser uma ótima maneira de organizar as coisas dentro da Arquitetura de Informação, contanto que não exista um menu no cabeçalho. Caso contrário, seu design de torna redundante.

Considere a maneira como o Google Drive utiliza sua barra lateral.

ux-2Barra lateral como principal forma de navegação (Google Drive).

Note que o Google Drive não apresenta links de navegação na parte superior da página. Em vez disso, ele apresenta elementos de navegação em uma barra lateral, à esquerda do conteúdo. Esse é um exemplo de uma barra lateral que foi feita corretamente.

Se você explorar outros produtos do Google, você provavelmente vai notar que essa tendência continua, a partir do Drive, passando pelo Gmail e Contatos.

Então, como uma barra lateral inútil se parece?

Não procure em outro lugar que na indústria de notícias online.

Você pode estar pensando consigo mesmo: “As notícias? Como eles poderiam fazer algo de errado?”. Bem, muitas das suas barras laterais são simplesmente um exagero.

Considere a Fox News.

ux-3Barra lateral para conteúdo sugerido (Fox News).

A Fox News decidiu usar sua barra lateral para o conteúdo sugerido, apelidado More from Fox News. Em teoria, isso deve ser uma boa jogada – você quer evitar que seus usuários deixem seu site.

Se esse for o caso, então alguém por favor me explica por que, de acordo com a Alexa, da Amazon, a Fox News tem uma taxa de rejeição de 52%, com uma média de 2.69 páginas visitadas? O mistério não termina aí.

ux-4Conteúdo sugerido com redundância (Fox News).

Se você rolar a página para baixo somente um pouco, vai encontrar três seções paralelas, intituladas Sponsored Stories You May Like, More from Fox News e Sponsored Stories, que continuam a bombardear o usuário com o conteúdo sugerido.

Nesse caso, a Fox News tenta diferenciar o conteúdo da barra lateral a partir dos vários tipos de conteúdos sugeridos abaixo do artigo, dando às seções nomes confusos. Na prática, isso fica um pouco exagerado e é evidente que não ajuda a taxa de rejeição da Fox.

2016 é o ano do minimalismo

Google, Apple e todos os grandes players da indústria de tecnologia projetaram seus websites com uma abordagem minimalista, como empregar uma abordagem de “design plano”.

Você pergunta: por que esse é o caso?

Porque minimalismo força o usuário a absorver a mensagem que está no site. Quando se trata de UX e design visual, mais frequentemente do que nunca, menos é mais. Um design minimalista irá destacar melhor a sua chamada à ação, e manter o usuário focado no que é importante.

Abaixo está um artigo do Washington Post exibindo o que eu gosto de chamar de desordem da barra lateral.

ux-5Desordem da barra lateral (Washington Post).

O foco principal da página acima é o conteúdo do artigo. No entanto, o usuário facilmente se distrai com toda a desordem na barra lateral, incluindo um anúncio publicitário, artigos sugeridos, link para download de e-book, e uma newsletter para CTA.

Evitar a desordem na barra lateral é sobretudo encontrar o foco.

Ao evitar a desordem que é frequentemente causada por barras laterais, MSNBC (foto abaixo) tem mantido com sucesso o foco sobre o conteúdo rápido, quebrando a tendência predominante entre a maioria dos sites na indústria de notícias, através da adoção de uma abordagem minimalista ao design.

ux-6Um design com foco e minimalista (MSNBC).

O que você prefere ler?

Desorganização na barra lateral também pode afetar as taxas de conversão. Na imagem abaixo, é evidente que a Smashing Magazine visa a converter os usuários com uma chamada à ação (CTA) de newsletter na barra lateral de sua página de comércio eletrônico.

ux-7Barra lateral como um meio de conversão (Smashing Magazine).

Embora a implementação acima tenha sido bem feita, é preciso não se deixar levar pela noção de que tudo o que você colocar na barra lateral converte. De acordo com o VideoFruit, os usuários só clicam na barra lateral 0,3% do tempo. Isso é três em cada mil usuários.

O VideoFruit teve um aumento de 26% nas taxas de conversão da newsletter removendo a barra lateral e colocando a CTA em outros lugares. Da mesma forma, o ImpactBnD relatou um aumento surpreendente de 71% no desempenho da sua CTA quando ela foi removida da barra lateral.

Como você pode ver, barras laterais fazem pouco ou nada para as taxas de conversão. Se não fazem nada, elas parecem causar prejuízo.

Conclusão: abandonem a barra lateral

É possível fazer a barra lateral corretamente?

Sim. No entanto, eu não recomendo. O foco de sua página de comércio eletrônico é a sua linha de produtos, e o foco da página de portfólio é a sua carreira. A única exceção a essa regra é a página do blog.

Blogs podem implementar com sucesso a barra lateral, sem usá-la exclusivamente para a navegação, porque uma alta taxa de rejeição não significa necessariamente que irá afetar o blog. Nem a desordem. Usuários que desembarcaram em um determinado artigo querem saber do conteúdo mais do que da organização da página.

Então, por que bagunçar páginas (não-blogs) com coisas que não importam? Se você estava esperando que a sua barra lateral fosse ajudar nas taxas de conversão, então as estatísticas acima devem impedir você de ter essa noção.

E não se esqueça de que, em 2016, a maioria do tráfego é mobile, e barras laterais sequer aparecem em dispositivos móveis (ou elas aparecem depois de muito swiping vertical). O que você está esperando conseguir através da implementação de uma barra lateral para apenas uma pequena parte do seu tráfego?

Encare: barras laterais são uma reflexão tardia. Elas são as remanescentes da teoria ineficaz do design antigo, e elas precisam partir. Se você não estiver usando sua barra lateral como um meio primário de navegação, então é muito provável que ela seja inútil.

***

UsabilityGeek é um blog de UX que faz a ponte entre pesquisa acadêmica e teórica e recomendações práticas e pessoais sobre como entregar uma ótima experiência de usuário. Eles convidam colaboradores e autores para oferecer um hub de dicas e insights de experts do setor. Esta tradução foi feita com autorização pela Redação iMasters. Você pode checar o original em: http://usabilitygeek.com/ux-designers-ditch-sidebar-2016/

Source: IMasters

Categorizados em:

Este artigo foi escrito pormajor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *